fundo

Postado em 06 de Fevereiro às 14h19

Silvicultura será destaque na Mercoflora 2017

SETOR TEM GRANDE POTENCIAL DE CRESCIMENTO NO OESTE CATARINENSE

Silvicultura será destaque na nova feira econômica de Chapecó – a Mercoflora 2017 – organizada pela Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC) e pelo Conselho das Entidades Empresariais (CEC) – que está despertando o interesse das cadeias produtivas ligadas às espécies vegetais. A nova expo-feira está programada para os dias 9, 10 e 11 de agosto deste ano no Shopping Pátio Chapecó. A Mercoflora reunirá todos os elementos do mundo vegetal e atuará em quatro áreas básicas: silvicultura, fruticultura, floricultura e olericultura.
Existem muitas potencialidades para o desenvolvimento da silvicultura no oeste de Santa Catarina, assinala o coordenador dessa comissão setorial Dorli Mário Dacroce. Expõe que o oeste tem 8,1 mil quilômetros quadrados potenciais para a implantação de povoamentos florestais, o que representa 30% da mesorregião formada por 117 municípios agrupados nos micropolos de Xanxerê, São Miguel do Oeste, Joaçaba, Concórdia e Chapecó.
“O oeste de Santa Catarina possui grande potencial para o desenvolvimento da Silvicultura, pois possui muitas áreas com topografia acidentada com pouco potencial para outras atividades. Também possui solos de boa fertilidade e alto índice de precipitação e bem distribuído o ano todo, o que fazem a região ter alta produtividade em plantios florestais”, expôs Dacroce.
O coordenador mostra que as florestas constituem uma das causas que evita o êxodo rural, portanto, é de interesse público. Além disso, representa uma ótima fonte de renda, cria novos empregos e gera benefícios ambientais.
Entre as culturas já implantadas e consolidadas no oeste catarinense destaca-se o setor de celulose e papel, especialmente no meio oeste, região de Irani, onde predomina o plantio do pinus.
Nas regiões mais baixas (menos de 800 metros de altitude) predomina o plantio do eucalipto, incluindo todo o vale do rio Uruguai e seus afluentes. Nas duas últimas décadas, o uso da madeira de eucalipto para desdobro em serrarias se multiplicou. Gradativamente, o eucalipto apareceu na indústria moveleira e demais usos. Também cresceu o uso do eucalipto e do pinus na construção civil, em forma de madeira roliça ou serrados processados em autoclaves.
A erva-mate aparece como a terceira cultura já consolidada no Oeste, seja nos remanescentes nativos ou nos novos plantios, com um parque industrial organizado processando a matéria-prima oriunda de pequenas propriedades rurais. As três espécies (erva mate, pinus e eucalipto) já possuem base produtiva no campo. Em muitas situações, necessitam de melhor manejo para elevar a qualidade.
INDUSTRIALIZAÇÃO
O coordenador da comissão setorial de silvicultura enfatiza que existem muitas indústrias em funcionamento para transformação dessas matérias-primas florestais. As serrarias, seja para desdobro do eucalipto ou pinus, estão distribuídas em praticamente todos os municípios do Oeste, algumas mais modernas, mas a maioria necessita melhorar sua eficiência. A indústria ervateira, por outro lado, está em atividades em aproximadamente 140 municípios no Estado e tornou o oeste grande produtor de chás e erva-mate para chimarrão. O setor tem grade potencial para ampliar com novos produtos agregando valor à atividade beneficiando toda a cadeia produtiva.
Dorli Dacroce acredita que a MERCOFLORA contribuirá no desenvolvimento da silvicultura no grande oeste catarinense, estimulando a inovação e a busca de novos mercados. Realça que há mercado para novos equipamentos para desdobro da madeira e no uso e destinação dos resíduos. Empresários e produtores rurais receberão informações para implantação de novos plantios economicamente viáveis, com orientação técnica no manejo adequado para maior agregação de valor e nas florestas plantadas.
Outro resultado da feira pode ser a criação de um sistema de pesquisa e extensão rural na área florestal para fazer chegar às novas tecnologias até o produtor rural.
POTENCIAL
O presidente da comissão central organizadora, empresário João Carlos Scopel, acredita que a Mercoflora 2016 tem potencial para diversificar a matriz econômica de Chapecó. O presidente da ACIC, Josias Mascarello, realça que as feiras técnicas cumprirão importante papel de fomento econômico neste ano, em Chapecó. A coordenação técnica está a cargo de Nadir José Cervelin, com o acompanhamento do diretor de feiras Bento Zanoni.
A expo-feira reunirá expositores que representam 120 marcas e atrairá 10 mil visitantes, tendo abrangência em todo o Sul do Brasil. A Mercoflora foi divulgada nos principais eventos nacionais do setor, o que inclui a Hortitec e a Enflor, ambas de Holambra (SP), e a Enfrute de Fraiburgo (SC).
A comercialização está a cargo da Zoom Feiras & Eventos (telefone 49-3361-9200), e-mail mercoflora@zoomfeiras.com.br. Outras informações estão disponíveis no site www.mercoflora.com.br.

Veja também

Mercoflora 2016 já está 50% vendida28/01/16 A nova feira econômica de Chapecó – a Mercoflora 2016 – organizada pela Associação Comercial e Industrial de Chapecó (Acic) e pelo Conselho das Entidades Empresariais – está despertando o interesse das cadeias produtivas ligadas às espécies vegetais e já registra a venda da metade dos espaços para expositores. A nova expo-feira......
Silvicultura será destaque na Mercoflora 201625/02/16 SETOR TEM GRANDE POTENCIAL DE CRESCIMENTO NO OESTE CATARINENSE Silvicultura será destaque na nova feira econômica de Chapecó – a Mercoflora 2016 – organizada pela Associação Comercial e Industrial de......
Nova feira lançada pela ACIC e CEC diversificará matriz econômica da região28/01/16 Cerca de 200 pessoas, entre lideranças empresariais, políticas e acadêmicas, convidados e profissionais da imprensa, participaram do lançamento da nova feira especializada de Chapecó – a MERCOFLORA 2016, que na cantina......

Voltar para Imprensa

Inscreva-se aqui